Skip to main content

Petróleo e gás natural - tecnologia e experiência em cenários adversos

No fundo, no fundo, é dos cenários mais desafiadores que tiramos nossa energia.

Somos um dos maiores operadores offshore do mundo e o segundo maior provedor de gás para a Europa. Operamos mais de 40 campos de petróleo e gás na Noruega e diversos outros ao redor do mundo. No Brasil, fica localizado nossa maior operação fora da Noruega, o campo de Peregrino, situado na Bacia de Campos.

Há 40 anos, testamos os limites da imaginação e da tecnologia, buscando encontrar e desenvolver ativos de qualidade, seja em águas profundas ou novas fronteiras. Somos reconhecidos como a empresa líder em recuperação avançada de reservatórios – buscando extrair mais de campos considerados maduros ou em curva descendente de produção.

Temos no Brasil um portfólio diversificado, com atividades em todos os estágios de desenvolvimento, desde a exploração até a produção.

ÁREAS EM PRODUÇÃO

Credit-Ole Jørgen Bratland-Copyright-Equinor-Peregrino B-2205237_1280x486.jpg

Conheça nossos dois campos em produção: Peregrino e Roncador (operado pela Petrobras).

ÁREAS EM DESENVOLVIMENTO

equinor-footer image-brasil_1280x486.jpg

Dois de nossos mais importantes e desafiadores projetos estão no Brasil: Carcará e Pão de Açúcar.

Áreas em exploração

Credit - Trond Isaksen -  Statoil - People and office working environment, Bergen - 1158801_1280x486.jpg

Temos 18 licenças em fase de exploração no Brasil.                                               

Credit-Ole Jorgen Bratland-Copyright-Equinor-Peregrino B-2205308._1280x448.jpg

Áreas em produção

Peregrino, uma história sobre o impossível

A Equinor produz petróleo e gás no Brasil desde 2011, quando entrou em operação o campo de Peregrino, na Bacia de Campos, nossa maior operação internacional offshore. Desde então, já produzimos mais de 170 milhões de barris, num dos campos mais desafiadores do País por conta do seu óleo extremamente pesado.

Peregrino é um dos 10 maiores campos em produção no Brasil, segundo dados da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP). Atualmente, produz cerca de 70 mil a 80 mil barris de petróleo por dia. Nos últimos anos, conseguimos reduzir os custos operacionais de Peregrino em 35%, o que nos ajudará a maximizar a criação de valor no longo prazo e assim estender a vida útil do campo. Isso significa continuar gerando emprego por mais tempo.

Trabalham em Peregrino hoje cerca de 1.000 pessoas, entre trabalhadores próprios e prestadores de serviço. Eles estão a bordo das duas plataformas fixas (WHP-A e WHP-B) e também da unidade flutuante de produção e armazenamento (FPSO Peregrino).

Peregrino é nosso laboratório diário na busca por eficiência de produção. Perfuração de poços com custos mais baixos e menor tempo, e uma gestão de reservatório que almeja extrair o máximo possível de óleo são algumas das estratégias utilizadas para aumentar o fator de recuperação do campo. Já conseguimos aumentar a taxa de 10% para 16% e temos a ambição de melhorar ainda mais. Quanto maior o percentual de petróleo que se consegue extrair de um campo, mais valor se cria a partir de uma única descoberta.

Notícias relacionadas:

Peregrino Fase 2, aumentando a vida útil do campo

Peregrino Fase 2 é um dos principais projetos a entrarem em operação nos próximos anos, criando valor para a sociedade brasileira no curto prazo. Ele envolve o acréscimo de uma terceira plataforma fixa ao campo, que poderá perfurar poços para chegar a reservatórios inacessíveis pelas atuais plataformas A e B. Isso aumentará sua vida produtiva e adicionará 273 milhões de barris em reservas recuperáveis.

A terceira plataforma (WHP-C) será instalada entre o final de 2019 e o começo de 2020 e o primeiro óleo deverá acontecer até o fim de 2020. Cerca de 240 novos empregos diretos serão criados com a nova plataforma C, além de milhares outros envolvendo a cadeia de fornecedores como um todo.

A experiência adquirida com Peregrino e Peregrino Fase 2 será utilizada no desenvolvimento e nas operações de projetos futuros da empresa, como Carcará e Pão de Açúcar.

Notícias relacionadas:

Roncador, uma parceria estratégica

Localizado na Bacia de Campos, Roncador é a maior descoberta no Brasil a partir da década de 1990. Atualmente, é o terceiro maior campo produtor do país com produção atual de cerca de 170 mil barris de óleo equivalente (boe) por dia e cerca de 30 mil boe por dia de gás associado.

A Equinor é parceira da Petrobras no campo desde 2017, quando adquiriu 25% de participação e com isso triplicou sua produção no Brasil.

O principal objetivo da parceria é aumentar o fator de recuperação do campo, ou seja, extrair mais petróleo dos reservatórios já conhecidos, por meio da expertise da empresa em recuperação melhorada de reservatórios (na sigla em inglês, IOR – increased oil recovery). A Equinor é reconhecida mundialmente por sua experiência nesta área, tendo atingido fatores de recuperação em diversos campos bem acima da média mundial (para saber mais sobre este assunto, clique aqui).

O resultado esperado é maximizar a criação de valor e a longevidade do campo Roncador. A ambição é aumentar o fator de recuperação, trazendo o total de volumes recuperáveis remanescentes de 1 bilhão de barris de óleo equivalente (boe) para mais de 2 bilhões de boe.

Notícias relacionadas:

Equinor - EA - Brazil - 73512018_1280x375.jpg

Áreas em desenvolvimento

Carcará – primeiro projeto no pré-sal a ser desenvolvido pela Equinor

Descoberto em 2012 e adquirido pela Equinor em 2016, Carcará é um projeto localizado no pré-sal da Bacia de Santos. Trata-se de um reservatório de petróleo de excelente qualidade, com gás associado. Carcará é considerado uma das maiores descobertas de petróleo da última década no Brasil.

A Equinor e seus parceiros – ExxonMobil e Galp – estimam que as reservas recuperáveis de Carcará (incluindo a área Norte de Carcará) sejam superiores da 2 bilhões de barril de óleo equivalente.

O projeto se encontra atualmente na fase de definição da melhor estratégia de desenvolvimento do ativo, cujo começo de produção é estimado para 2023/2024. Carcará irá aumentar significativamente a produção de petróleo da Equinor no Brasil a custos competitivos.

Notícias relacionadas:

Pão de Açúcar, um dos nossos principais projetos de gás natural

Pão de Açúcar faz parte, juntamente com as descobertas batizadas de Gávea e Seat, do bloco BM-C-33, localizado no pré-sal da Bacia de Campos. Os volumes recuperáveis são superiores a 1 bilhão de barris de óleo equivalente, o que faz com que este seja um dos principais projetos de gás natural em desenvolvimento no País. A produção neste bloco será faseada e iniciada pela maior descoberta, Pão de Açúcar.

O bloco foi adquirido no leilão da ANP realizado em 2005 e a Equinor passou a ser a operadora em 2015. Os reservatórios são complexos e localizados a cerca de 3.000 metros de profundidade, uma oportunidade para a Equinor utiliza a sua farta experiência como operadora offshore e produtora de gás.

O projeto preliminar, ainda em fase de discussão entre os sócios – RepsolSinopec e Petrobras – prevê a utilização de uma unidade de produção do tipo FPSO conectado a poços produtores. O projeto se encontra agora na fase de desenvolvimento e avaliação, em que o entendimento do reservatório e os estudos de conceito e desenvolvimento são mais aprofundados.

Notícias relacionadas:

equinor-offshore-lansscape_1280x375.jpg

Áreas em exploração

Nosso portfólio de exploração no Brasil

Temos um portfólio de exploração diversificado no Brasil, com áreas nas bacias de Campos, Santos e Espírito Santo, com potencial de descobertas de alto impacto.

180225_01_Brasil_pre-salt_Portoguese_Update.jpg