Skip to content

Equinor celebra dois grandes contratos para o projeto BM-C-33

(UTC)
(Foto: Ole Jørgen Bratland / Equinor)

A Equinor, representando a licença do BM-C-33, que conta com os parceiros Repsol Sinopec Brasil e Petrobras, celebrou um contrato com a TechnipFMC para entregas relacionadas ao escopo de SURF, e um contrato de compra e venda (SPA - sales and purchase agreement) para a entrega de um FPSO (Unidade Flutuante de Produção, Armazenamento e Transferência) com a MODEC Inc.

“Estamos contentes de celebrar esses contratos com companhias reconhecidas por sua experiência e qualidade, o que será importante para as principais entregas no desenvolvimento do BM-C-33”, afirma Geir Tungeskiv, vice-presidente Executivo de Projetos, Perfuração & Procurement.

“A MODEC também conta com o contrato do FPSO do nosso projeto Bacalhau, e esperamos aproveitar as experiências entre os dois projetos para garantir a execução dos projetos de maneira segura e eficiente. Também temos uma longa história de colaboração com a TechnipFMC e estamos contentes de continuarmos nossa boa colaboração no desenvolvimento de outro projeto relevante”, diz Tungesvik.

Geir Tungesvik – Veronica Coelho
Geir Tungesvik, vice-presidente Executivo de Projetos, Perfuração & Procurement – Veronica Coelho, presidente da Equinor no Brasil

“O BM-C-33 é um ativo de classe mundial no pré-sal brasileiro da Bacia de Campos. O Brasil é uma área estratégica para o crescimento da Equinor e a companhia tem ambições de aprofundar sua presença no país. O BM-C-33 será um importante projeto para viabilizar esse objetivo, sendo um relevante fornecedor para o mercado de gás doméstico, contribuindo para o desenvolvimento industrial e para a segurança energética localmente. Ao mesmo tempo, estamos comprometidos em usar tecnologia para reduzir nossas emissões substancialmente. O BM-C-33 contará com uma meta de intensidade de carbono de menos de 6kg por barril de óleo equivalente durante a vida útil do campo, enquanto a média global da indústria é de 16 kg de CO2 por barril”, diz Veronica Coelho, presidente da Equinor no Brasil.

(Ilustração: MODEC)

O BM-C-33 vai utilizar a tecnologia de ciclo combinado no FPSO para reduzir a intensidade de CO2.

O contrato do FPSO é principalmente na modalidade de lump sum turnkey e inclui engenharia, aquisição, construção e instalação para toda a unidade. A data de entrega do FPSO é prevista para 2027. A MODEC também fornecerá à Equinor serviços de operação e manutenção do FPSO durante o primeiro ano apartir do seu início de produção, após este período a Equinor planeja operar a unidade.

A Equinor exerceu uma opção no contrato de projeto de engenharia básica com a TechnipFMC, concedido em julho de 2022, para fornecer engenharia integrada, aquisição, construção e instalação para o SURF (subsea umbilicals, risers and flowlines). O sistema SURF será instalado em uma profundidade de água de aproximadamente 2.900 metros, que representa a instalação mais profunda na história da Equinor.

O contrato, descrito pelo fornecedor como uma celebração muito relevante, inclui a entrega de sistemas de árvores Subsea 2.0™, coletores, jumpers, risers rígidos e linhas de fluxo, umbilicais, terminações de extremidade de tubulação e equipamentos de distribuição subsea e controle de topside. A TechnipFMC tem uma forte presença local e também foi contratada para acordos envolvendo equipamentos adicionais e serviços operacionais subsea.

Equinor e os parceiros decidiram desenvolver o projeto do BM-C-33, no pré-sal brasileiro, com um investimento de aproximadamente US$ 9 bilhões.

Fatos

  • Parceiros: Equinor 35% (operadora), Repsol Sinopec Brasil 35%, Petrobras 30%
  • As descobertas foram feitas pela Repsol Sinopec em 2010
  • A Equinor se tornou operadora em 2016
  • O bloco está localizado no pré-sal da Bacia de Campos, no Brasil
  • A licença está localizada aproximadamente a 200 km da costa, em profundidade de até 2.900 metros
  • O projeto contém gás natural e óleo/condensados recuperáveis de mais de 1.0 bn boe
  • A capacidade de escoamento de gás é de 16 milhões de metros cúbicos por dia, o que pode representar 15% da demanda brasileira de gás natural no início da produção
  • A capacidade do FPSO é de aproximadamente 126 mil barris por dia.
  • O início da produção é previsto para 2028