Skip to content

Equinor retoma produção do campo de Peregrino

Last modified
 O campo de Peregrino no Brasil
(Foto: Einar Aslaksen / Equinor ASA)

A produção do campo de Peregrino foi retomada em 16 de julho, com o objetivo de aumentar a produção e reduzir a intensidade das emissões.

A produção de Peregrino foi interrompida em abril de 2020. Desde então, a Equinor executou um extenso programa de manutenção, atualizações e reparos no FPSO (Unidade flutuante de produção, armazenamento e transferência) e instalou uma nova plataforma, Peregrino C. Juntos, esses investimentos permitiram o reinício da produção com segurança, para aumentar a capacidade total de produção do campo e melhorar a intensidade das emissões de carbono.

"Nossa prioridade máxima é a segurança de nosso pessoal e de nossas operações.Os investimentos em tecnologia, novos equipamentos e manutenção nos permitiram retomar com segurança a produção em Peregrino e nos preparar para o início do novo projeto Peregrino Fase 2", diz Veronica Coelho, Presidente da Equinor no Brasil.

Veronica Coelho
Veronica Coelho, Presidente da Equinor no Brasil.
(Foto: Alex Ferro / Equinor ASA)

Peregrino é o maior campo operado pela Equinor forada Noruega eo primeiro de uma série de desenvolvimentos de grandes campos no Brasil. As reservas remanescentes de Peregrino Fase I estão estimadas em 180 milhões de barris.

Paralelamente aos reparos e manutenção no FPSO, foi instalada a terceira plataforma, Peregrino C, que está progredindo para o começo da produção, com o primeiro óleo previsto para o terceiro trimestre de 2022. A nova plataforma é parte do projeto Fase II de Peregrino, que vai estender a vida útil e o valor do campo e adicionar 250-300 milhões de barris.

"Estou orgulhosa do trabalho duro de nossas equipes,durantea pandemia de Covid, a fim de trazer o campo de volta à ativa e atualizar as instalações. Mais de 1.200 pessoas trabalharam juntas, offshore, nos últimos meses", acrescenta Veronica Coelho.

Em linha com a estratégia de baixo carbono da Equinor, grandes investimentos foram feitos para reduzir as emissões de CO2 do campo. Quando em operação, a Fase II reduzirá as emissões em Peregrino em 100.000 toneladas de CO2por ano. Isso será alcançado por meio daimplementação de soluções de digitalização para otimizar o consumo de energia, alémde turbinas a gás para reduzir drasticamente e substituir o consumo de diesel.

Localizado na bacia de Campos, o campo de Peregrino iniciou a produção em 2011. A Equinor é a operadora (60%), com Sinochem (40%) como parceiro no campo. Peregrino Fase I consiste em uma unidade FPSO, apoiada por duas plataformas de cabeça de poço - Peregrino A e Peregrino B. Peregrino Fase II consiste em uma plataforma de cabeça de poço - Peregrino C – e instalações relacionadas.