Teste de produção é positivo no poço de avaliação Gávea A1, na Bacia de Campos

18 de Abril de 2016 05:00 CEST | Last modified 14 de Dezembro de 2018 14:56 CET

A Statoil, em parceria com a Repsol Sinopec e a Petrobras, concluiu o poço de avaliação Gávea A1, no bloco BM-C-33, em águas ultraprofundas do pré-sal, na Bacia de Campos.

Foi encontrada uma coluna de hidrocarbonetos de 175 metros em um reservatório de boa qualidade de carbonatos silicificados da Formação Macabu. O poço atingiu uma profundidade total  de 6.230 metros e foi testado com sucesso produzindo cerca de 16 milhões de pés cúbicos de gás e 4 mil barris de óleo por dia com redutor (choke) de 32/64".
 
Este é o quarto poço de avaliação da licença, que inclui as descobertas de Seat, Gávea e Pão de Açúcar (PdA). No período de 2013 a 2015, foram perfurados e testados os poços de avaliação Seat-2, PdA-A1 e PdA-A2.
 
Com o Gávea A1, o consórcio encerrou as atividades de avaliação do bloco BM-C-33. Agora, serão analisados os dados de subsuperfície e avaliados métodos de desenvolvimento simplificados e de melhor rentabilidade.
 
A Repsol Sinopec Brasil (35%) é a operadora do BM-C-33, tendo Statoil (35%) e Petrobras (30%) como parceiras. Conforme anunciado em dezembro de 2015, a Statoil irá assumir a operação do bloco, após aprovação da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP). A expectativa é de que este processo seja finalizado no terceiro trimestre de 2016.