Projeto de Educação Ambiental PEA FOCO, da Equinor, celebra dez anos de atuação

20 de Outubro de 2021 16:06 CEST

No ano em que comemora 20 anos de atuação no Brasil, a Equinor celebra também uma década de atuação do PEA FOCO, projeto de educação ambiental desenvolvido pela companhia na área de abrangência do campo de Peregrino, na Bacia de Campos, como uma medida de mitigação exigida pelo licenciamento federal conduzido pelo Instituto Brasileiro Ibama. Durante os dez primeiros anos de atuação, diversas iniciativas foram desenvolvidas com a participação de mais de 400 mulheres das cidades de São Francisco de Itabapoana, São João da Barra, Cabo Frio, Armação dos Búzios e Arraial do Cabo. 

Com o objetivo de capacitar as mulheres por meio do reconhecimento de seus direitos e deveres na sociedade e como parte da metodologia de desenvolvimento do PEA FOCO, o projeto estabeleceu reuniões locais nas comunidades, nas sedes municipais e também encontros regionais. A metodologia utilizada é participativa e, a partir do diálogo, diversas demandas das mulheres foram surgindo e se transformando em realidade. “Um dos principais objetivos do PEA FOCO é fortalecer a organização comunitária, como exigência do Ibama, e temos orgulho em perceber que, ao longo desses dez anos, a Equinor pôde contribuir de forma intensa com as comunidades onde atuamos”, comenta Pryscila Verly, Analista Sênior de Sustentabilidade da Equinor Brasil. 

Com foco na identificação e desenvolvimento de lideranças, o projeto proporcionou capacitação por meio de cursos para dezenas de mulheres, conhecidas localmente como educadoras populares. Foram implementadas duas cozinhas pedagógicas, uma em São Francisco do Itabapoana e uma em São João da Barra, onde são desenvolvidas oficinas de culinária e economia solidária. O PEA FOCO também atuou junto ao Ministério da Pesca para proporcionar o reconhecimento profissional de mulheres das comunidades como pescadoras, tirando-as da invisibilidade na cadeia da pesca, por meio do recebimento da carteira de pesca. 

Uma das conquistas das mulheres a partir da educação ambiental foi, em 2014, criar a Associação de Mulheres Apoiadoras do PEA-FOCO, entidade jurídica de defesa de direitos que tem por objetivo garantir espaço nos fóruns de discussão que o projeto já vivencia, como os Conselhos Municipais, que discutem sobre as questões de gênero e de saúde, e demais instâncias de participação existentes na região. 

Pela relevância de suas iniciativas e pelos impactos positivos nas comunidades, o PEA FOCO foi reconhecido globalmente pela Equinor, em 2018, quando foi selecionado pelo CEO's SSU  Award como o melhor projeto de sustentabilidade. A premiação destaca as melhores iniciativas da companhia em todo o mundo em diversas categorias. 

Atuação durante a pandemia

Durante o atual cenário de pandemia da COVID-19, o projeto se adaptou para desenvolver as atividades remotamente, mantendo o engajamento das mulheres. Esse período proporcionou discussões sobre novos temas, como tecnologia, metodologias de trabalho, treinamento e engajamento. 

Sobre o PEA FOCO

O PEA FOCO integra o processo de licenciamento do campo de Peregrino, aprovado pelo Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis ​​(Ibama), sendo uma das condicionantes da licença de funcionamento do campo. Por esse motivo, o projeto segue sendo desenvolvido por toda a vida útil do campo. Atualmente, o PEA FOCO atua nas cidades de São Francisco de Itabapoana, São João da Barra, Cabo Frio, Armação dos dos Búzios e Arraial do Cabo. O projeto visa contribuir para a integração das mulheres e para o reconhecimento de seu papel e atuação nos espaços econômico, social e ambiental da região, respeitando as relações de interdependência próprias da vida comunitária.