Produção do campo de Bacalhau será destinada à exportação

4 de Outubro de 2021 19:48 CEST | Last modified 4 de Outubro de 2021 20:11 CEST

A Equinor esclarece que a produção de petróleo do campo de Bacalhau, na Bacia de Santos, será prioritariamente destinada ao mercado externo. Portanto, a empresa ressalta que apenas embarcações de apoio logístico, que transportarão equipamentos, alimentos e outros recursos para o funcionamento da plataforma, utilizarão a base de apoio da Triunfo, localizada na Baía de Guanabara. A empresa destaca ainda que não está prevista a utilização de bases de apoio logística ou terminal aquaviário nas Baias de Sepetiba ou Ilha Grande. A decisão final de investimento para o projeto de Bacalhau foi anunciada pela Equinor e seus parceiros em junho de 2021 e o primeiro óleo do campo está previsto para 2024.

Bacalhau será o primeiro campo do pré-sal brasileiro operado por uma operadora internacional. No total, serão cerca de três mil pessoas trabalhando para o projeto no país. O campo também contará com o primeiro FPSO do Brasil a usar turbinas a gás de ciclo combinado, o que reduzirá significativamente as emissões de carbono. A fase 1 do projeto contará com um dos maiores FPSOs do Brasil, com capacidade de produção de 220.000 barris por dia e capacidade de armazenamento de dois milhões de barris.  No total, serão 8 bilhões de dólares destinados ao desenvolvimento do campo.