Equinor reduzirá em 100.000 toneladas as emissões de CO2 em Peregrino

29 de Outubro de 2019 19:45 CET

A Equinor anunciou nesta terça-feira (29 de outubro), durante uma apresentação feita pelo vice-presidente de operações da Equinor Brasil Geir Sørtveit na OTC Brazil 2019, que as emissões de CO2 do campo serão  reduzidas em 100.000 toneladas por ano após a introdução da fase 2 do Peregrino.

Com o início da terceira plataforma - Peregrino C -, o principal combustível para geração de energia passará de diesel para gás importado, reduzindo significativamente as emissões de carbono. Um gasoduto será conectado à Rota 2 e será instalado no primeiro trimestre de 2020. Peregrino C começará a produção no final de 2020 e o uso de gás começará em 2021.

Peregrino é o primeiro ativo da empresa no Brasil. Iniciou a produção em 2011 e acaba de atingir o marco de 200 milhões de barris produzidos. Com o início da fase 2, cerca de 260 milhões de barris de petróleo serão adicionados às reservas do campo de Peregrino. A expansão do projeto gerará mais de 350 novos empregos offshore e onshore e prolongará a vida útil do campo por mais 20 anos.

FOCO NA SUSTENTABILIDADE

A Equinor possui três pilares estratégicos (sempre seguros, alto valor e baixo carbono). Além de desenvolver novas tecnologias em seus ativos e projetos de petróleo e gás para produzir com as menores emissões possíveis, a Equinor possui um portfólio crescente de fontes renováveis (eólica e solar offshore), além de explorar oportunidades no setor de energia em todo o mundo.

“As emissões de CO2 e as mudanças climáticas moldarão nossa indústria, o mercado e o valor de nossos produtos no futuro. Para nós, baixo carbono significa ser competitivo no futuro ”, diz Geir Sørtveit.