Equinor fortalece sua presença nas bacias de Campos e Santos

7 de Junho de 2018 16:53 CEST | Last modified 21 de Junho de 2018 19:02 CEST
170394_10_Brazil_Uirapuru_DoisIrmaos.jpg

A Equinor expandiu seu portfolio no pré-sal das bacias de Campos e Santos depois de adquirir os blocos Dois Irmãos e Uirapuru na 4ª Rodada de Patilha de Produção da ANP.

Equinor, ExxonMobil e Petrogal Brasil apresentaram a oferta vencedora (75,49% de excedente em óleo) para o contrato de partilha de Uirapuru na bacia de Santos. A Petrobras exerceu seu direito de entrar no consórcio e será a operadora com 30% de participação. A distribuição final de participação é Petrobras (30%, operadora), Equinor (28%), ExxonMobil (28%) e Petrogal Brasil (14%). O bônus de assinatura pré-determinado a ser pago pelo consórcio é de BRL 2,65 bilhões milhões, aproximadamente USD 682* milhões. O bloco exploratório de Uirapuru é vizinho dos blocos BM-S-8 e Norte de Carcará, onde a Equinor e os parceiros (ExxonMobil e Galp) estão conduzindo atividades de perfuração no momento.

Equinor (25%), Petrobras (45%, operadora) e BP (30%) apresentaram a oferta vencedora para o contrato de partilha do bloco “Dois Irmãos”, na bacia de Campos, na 4ª Rodada de Partilha de Produção da ANP. A oferta vencedora foi de 16,43% de excedente em óleo. O bônus de assinatura pré-determinado a ser pago pelo consórcio é de BRL 400 milhões, aproximadamente USD 103* milhões. O bloco “Dois Irmãos” fica nas adjancências de quatro blocos recentemente adquiridos pela Equinor no 15ª Rodada de Concessão da ANP.

 “Nós estamos muito satisfeitos com as oportunidades que asseguramos na 4ª Rodada”, explica Tim Dodson, vice-presidente executivo de Exploração.

“As prolíficas bacias no offshore brasileiro representam ativos exploratórios de primeira linha. Os resultados desta rodada e das anteriores adicionaram áreas de grande potencial para o portfolio de exploração da Equinor, permitindo que a gente mantenha uma atividade significativa na busca por prospectos de alto valor no Brasil nos próximos anos”, diz Dodson.

“Essas aquisições fortalecem ainda mais nossa posição no Brasil, considerado um país-chave para a Equinor. Estamos ansiosos para trabalhar co nossos parceiros, as autoridades brasileiras e a PPPSA no desenvolvimento desse novo cluster. Nós temos aumentado nossos investimentos no País nos últimos dois anos e nossa expectativa é que isso represente mais empregos, impostos e, no futuro, royalties que beneficiarão as comunidades locais”, afirma Anders Opedal, presidente da Equinor no Brasil.

Essas aquisições se somam ao portfolio atual da Equinor no pré-sal brasileiro, que inclui o bloco BM-S-8 e Norte de Carcará, ambos na bacia de Santos, e BM-C-33 na bacia de Campos, onde fica localizada a descoberta de Pão de Açúcar.

*Baseado na taxa de câmbio da Bloomberg do dia 7 de junho de BRL/USD = 0,2573